Eu acredito na mudança… e tu?

IMG_3637_sRGB

Comecei pelos agradecimentos, a todas as participantes, mas em especial à Dra Aida, diretora da BLCS, pelo voto de confiança. Foi a segunda vez que apresentei o meu trabalho nas comemorações do Dia Internacional da Mulher e, mais uma vez, foi um sucesso. Recordei que este ano faz 8 anos que estive naquele auditório pela primeira vez a apresentar o meu CD de Taças Tibetanas e Gongos, numa fase completamente diferente daquela em que estou hoje, uma outra Ana, uma das muitas desta existência.
Resgatei do passado também a memória que vim para a Braga há 13 anos, sem familia, sem amigos, mas com a perspectiva de uma carreira como técnica superior de laboratório na ECS da UM… e passados três anos desisto desse emprego “seguro” para me dedicar a uma vida completamente nova, totalmente do zero, cheia de desafios, mas também muitas bençãos…
E numa cidade que não é o meu berço, muito conservadora e cheia de preconceitos, como é delicioso – depois de 10 anos de obstáculos, mas também muitas vitórias; após partir muita pedra, abrir muitas mentes, caminhos e tocar muitos corações – ser reconhecida e receber elogios como:

IMG_3634_sRGB

Possa eu ser a mudança que quero ver no mundo… continuando a inspirar muitos com o meu “Feminino”, “bem-estar”, “harmonia” e “tranquilidade”.
Eu acredito que a mudança é possível! Eu acredito num mundo mais amoroso, compassivo, natural, autêntico, feliz, saudável, harmonioso, livre; onde homens e mulheres não só se respeitam, mas adoram-se! Onde o amor não tem fronteiras, cor, raça, género… onde a compaixão não tem limites… onde é possível a devoção entre muitos corações abertos… onde os corpos vivem em êxtase… onde a sensualidade e a sexualidade é sagrada… onde as relações são vividas com integridade e paixão… Mas também acredito que essa mudança começa por mim… e por ti… por cada um de nós!
Grata à minha família que sempre me apoiou e respeitou incondicionalmente… Grata a quem me segue com tanta determinação e coragem… Grata ao meu companheiro por caminharmos lado a lado, de corações unidos e apaixonados…
Grata a mim, grata à vida e grata a todos que abraçam o caminho da mudança interior!
Todos beneficiamos… o planeta e a humanidade agradece!

IMG_3636_sRGB.JPG

E o teu fogo sagrado como está?

IMGP5068

Fogo é instinto, faz vibrar o peito, estremecer o corpo e comover o coração. Quando acende, pede ação imediata, como uma leoa a proteger a sua cria, sabe se avançar ou se esconder. É a natureza instintiva, básica e inata na mulher, que a faz saltar sem medo na aventura da vida.
Fogo é também a sabedoria do corpo físico e da alquimia sexual. A serpente dançante em êxtase, que nasce das entranhas misteriosas do templo feminino.
Fogo é a transmutação que permite a mulher evoluir, crescer e avançar para novos níveis de energia. Queima o passado e cria espaço para o novo.
Fogo é também a paixão, as emoções ao rubro, a força avassaladora de um vulcão em erupção. Se essa força não é vivida constrói-se uma muralha no coração e lentamente a mulher morre para a vida…

A mulher que deixa apagar o seu fogo é aquela que segue o que não quer só para corresponder às expectativas dos outros, da sociedade e do sistema… é aquela que não ouve a vibração do coração por medo de sair da sua zona de conforto, do seguro e do que é aceite fora dela… torna-se rígida, séria e sem vida.

A mulher que extingue o seu fogo é aquela que rejeita a sabedoria do seu corpo e da sua sexualidade sagrada… é aquela que tem vergonha, medo, sentimento de culpa e por isso reprime a sua energia sexual. Mas também é aquela que não respeita o seu corpo e a sua sexualidade sagrada e por isso abusa, despreza, manipula a sua energia sexual.

A mulher que não segue o seu fogo fica agarrada ao passado por medo de perder o controlo. São mulheres controladoras, demasiado estruturadas e racionais.

A mulher que não alimenta o seu fogo sagrado tem medo das suas emoções e de expressar o que sente… coloca a máscara do racional para se apresentar como forte. Não se permite sentir, amar e viver…

E o teu fogo sagrado como está? Sentes o seu calor? Segues a sua vibração? Alimentas a sua fome? Deixas-te queimar pela sua sabedoria? Permites-te ser iluminada com a sua chama?

 

O meu guerreiro interno, confessa…

_MG_4654.JPG

Sim, chegou a hora do meu guerreiro interno se abrir e confessar…
Ele está um pouco tímido, mas ainda assim aceita o desafio:

Trabalho arduamente, com objectivos, propósitos e intenções bem definidas… E posso estar horas com a minha atenção unidirecional… e se não fosse a Deusa interna fazer-me parar para dançar, fazer yoga ou apenas alguns estiramentos, podia estar focado até cair para o lado, numa atenção constante, sem quebras!

Gosto de atingir os meus objectivos, de ter sucesso, de ganhar dinheiro para poder investir em projectos mais expansivos e que possam ajudar cada vez mais pessoas…

Mas ainda acredito na perfeição e, portanto, posso sempre ser melhor… e a disciplina é o meu aliado…

Aprendi a transformar a raiva em coragem e, por isso, quando tenho algo em mente dificilmente desisto, mesmo que os obstáculos sejam muito difíceis…

Confio plenamente na minha análise, nos meus conhecimentos, na lógica e na razão… e quando faço julgamentos procuro ser muito justo!

Eu não bebo e não fumo… procuro desafios naturais e nada artificial que me faça sair da minha consciência plena… já subi as mais altas montanhas com 30Kg às costas… e agora quando me lembro daquele médico aos meus 16 anos dizer “nunca terás uma vida normal”, sorrio internamente… talvez tenha razão, fui muito além do normal!

Sei estar presente, consciente… às minhas emoções, ao meu corpo e aos outros…
Quando as emoções me invadem, recolho-me ao meu espaço interior onde encontro o meu silêncio… aí repouso fundindo-me com um oceano de calma que reconheço como fazendo parte da minha consciência pura… confesso que muitas vezes não foi fácil e rejeitei ou tentei controlar essas emoções caindo em padrões de evitar qualquer emoção que emergisse e, desta forma, reprimindo-as…

Ohhhh sim, também confesso que durante muitos anos deixei a minha amada Deusa morrer lentamente… mas como poderia eu viver sem ela? Deixei-a respirar, dei-lhe espaço para viver e se expandir e tudo se tornou mais colorido, mais harmonioso, mais aberto… e sim, com gratidão o coração começou a bater com mais alegria e satisfação; o sangue a correr com mais fluidez e serenidade; o corpo a mover-se com sensualidade e radiancia natural… ohhh e aquelas hormonas que ora saltitam de paixão, ora de doçura! Fizemos as pazes e como estou feliz… amo-a mais e mais, cada vez que ela está no seu máximo feminino, na sua plenitude e energia, na sua mudança e movimento, na sua criatividade e expressão!
Já não tenho medo das suas emoções, agora sei que basta abraçá-la com a minha presença… e as suas lágrimas são rios de néctar… e a sua tristeza, momentos de carícias… e a sua raiva, lutas alegres que acabam em abraços de paixão!
E sei que quanto mais a deixo brilhar, mais ela tem potencial para me amar! Como é belo o nosso amor!
Ela reconhece o quanto lhe dou sucesso, força, estrutura, estabilidade e coragem interna!
Mas agora sei que ela me dá muito mais… o sucesso do coração, a força da vulnerabilidade, a estrutura da harmonia, a estabilidade da fluidez natural, a coragem do amor!
Ela regressou às suas raízes… abraça a natureza… respeita os seus ciclos naturais… olha a lua com devoção… pratica em sintonia com a fase do seu ciclo… recolhe-se quando assim o sente; salta quando o coração a chama; canta quando a emoção lhe pede; ri quando a sua criança interior acorda!
Aprendeu a dançar a sua mudança interna… e a abrir o seu coração à vida… a ser energia, a ser a vida!
Agora sei que não a posso reprimir… sei o quanto preciso dela para ser verdadeiramente feliz, para ter um sucesso autêntico, para estar em paz!
Ohhh como a amo! Agora sei, juntos, somos completos, somos a Dakini!

 

 

 

Dança Dakini

Dança das Dakinis2
A Dakini representa a dançarina que se move livremente no céu aberto, completamente nua de qualquer sombra mental, evocando o movimento da energia no espaço. Essa dança representa o florescimento espontâneo da mente desperta ou sabedoria.
Neste despertar, o corpo da dakini lentamente floresce como uma flor de lotus ao sol e a sua energia sensual gradualmente começa a fluir como um rio de puro nectar… e como uma larva a tornar-se borboleta, a dakini ganha a abilidade de transformar os seus bloqueios em sabedoria… a dakini, como uma deusa, inicia a sua expressão criativa e livre… a dakini expande o seu coração e dança num movimento fluido amoroso cheio de graditão e plenitude, reconhecendo o seu poder interno, a sua natureza de amor.

Evento: Dança Dakini c/ Ana Taboada – Sensualidade, criatividade e êxtase.

Data: Domingo, 2 Outubro
Hora: 17:30 às 19:30
Local: Estúdio Ana Taboada
Preço: 15€ por pessoa
Inscrições: ana@anataboada.com

Programa:
A Dança Dakini é uma forma rápida e fácil de despertar a consciência sensual da mulher. Este workshop é para todas as mulheres e tem 3 partes:
1a Parte:
Exercícios físicos e respiratórios libertadores que preparam o corpo da mulher para o treino de movimentos conscientes sensuais;
2a Parte:
Treino gradual de movimentos conscientes sensuais que ajudam a mulher a ganhar auto-confiança, amor próprio, poder interno;
3a Parte:
Danças livres com distintos ritmos com diferentes objectivos: shake (trance), sensual e êxtase!

IMG_1515.JPG

Mais sobre Dança Dakini:

Como derreter um bloco de gelo?
Simples, aquecendo-o, criando as condições correctas para que possa derreter… Continua a ser água, mas derretida fica fluida, flexível, livre para se expandir… E se olhar para trás e observar como era o meu corpo, assim me identifico, era como um bloco de gelo.
É verdade que sempre tive um corpo muito flexível, logo nem tudo era gelo! e a energia vital estava lá bem presente, em especial desde que comecei a praticar yoga… por isso o trabalho corporal consciente que faço desde os 16 anos ajudou-me a libertar muitos bloqueios mentais e emocionais, muita rígidez… e mais tarde, principalmente com práticas de Yoga Tibetano do Budismo Tantrayana, aprendi a canalizar e sublimar a minha energia sexual que estava muito reprimida.
Ainda assim, se há dois anos me vissem dançar parecia mesmo um bloco de gelo… A mente já estava muito mais aberta, o corpo muito mais desbloqueado, mas algo muito escondido ainda residia de forma bloqueada no mais profundo de mim… agora tenho plena consciência que era o fantasma da vergonha de me expor, o malvado sentimento de culpa de sentir prazer, o grande monstro do medo de ser criticada ou rejeitada porque ser sexy ou ser sensual é tabu, não é puro e não é de todo de uma donzela… tudo isto me fazia reprimir muita energia sexual e esta energia, quer queiramos quer não, é a nossa energia mais vital que quando bem usada traz-nos inúmeros benefícios na saúde e mente.
Muitas mulheres pensam que é o corpo ideal, a maquilhagem perfeita, a roupa provocante ou o movimento erótico que a torna realmente sexy… pode até ajudar, mas se não vem de dentro, não é natural, logo é artificial. Ser sexy de forma natural significa aprender a libertar a nossa energia sexual e transformá-la em poder, em êxtase… é desta forma que a mulher se torna naturalmente sensual… uma mulher radiante, cheia de vitalidade, de brilho!

Em tempos ancestrais as mulheres juntavam-se para dançarem e assim com a ajuda da energia feminina libertarem a sensualidade inata dos seus poderosos corpos. O corpo da mulher traz esta dádiva de com alguns movimentos conscientes pélvicos, um yoga ou uma dança mais sensual, e com a ajuda da música e orientação correcta, acordar a sua sensualidade natural em pouco mais de 10min… e de um momento de medo, tensão, rígidez passar a uma explosão de êxtase, de alegria feminina sensual pura e todas as mulheres a sentem, por mais pequeno que seja o movimento.

Então porque acontece tão facilmente nas mulheres?
É a dádiva do corpo feminino, o poder do corpo da mulher e esta explosão de sensualidade conduz-nos a um despertar do corpo energético, hormonal que se reflecte no nosso estado mental, emocional e de saúde… sentindo poder e plenitude de dentro para fora.

Então porque não usamos mais esta capacidade?
Porque tem havido muita repressão à mulher usar a sua sexualidade para seu benefício.
Hoje em dia as mulheres não se juntam para o seu próprio prazer, mas sim apenas para o prazer dos homens ou de outras pessoas a assistirem… assim fomos perdendo a arte de despertar o nosso poder inato.
E a sociedade e a educação ao nos ensinar que a sensualidade é insegura, levou-a a ficar cada vez mais reprimida e silenciosa no corpo feminino e, assim, este desejo de expressar esta sensualidade começou a ser visto como um lado sombra, e claramente vemos esse emoção reprimida em mulheres completamente embriagadas a quererem trazer à superfície esse desejo de se sentirem sensuais e dançarem de forma mais louca e selvagem. É um desejo lindo, mas infelizmente essas mulheres não estão no seu poder…
Contudo, é possível despertar este poder com consciência, sem nos desconectarmos do nosso corpo e da nossa mente, usufruindo de cada movimento sem sentimento de culpa, medo ou sem ser apenas para agradar, dar prazer aos que observam – como acontece nas casas de strip ou numa discoteca.

Como resgartar esta arte natural feminina?
Este caminho para resgartar esta arte natural feminina requer compaixão por nós mesmas, pois pode ser muito gradual ou então, com as condições e orientações correctas onde a mulher se sente protegida, sem julgamento à volta, num ambiente que confia e relaxa, pode ser muito rápido e direto.

No meu caso específico, estou muito longe de ser uma dançarina, mas nem é esse o meu objectivo… até porque muitas, a meu ver, estão muito longe de serem naturalmente sensuais…
Mas se vos disser que foram apenas algumas aulas de dança, juntamente com a minha enorme vontade para expressar esta minha energia interna em estado de expansão que fizeram derreter o meu bloco de gelo, acreditam?!… danço muito sozinha em casa, ao som da minha música preferida e muitas vezes nua, porque este trabalho passa pela aceitação completa do nosso corpo… danço comigo, sozinha ou com o meu namorado, danço com a lua e com o sol, danço com a minha gatinha, danço com as ondas do mar, danço com a brisa fresca, danço com a vida!

No próximo domingo vou partilhar o que mais me ajudou a libertar-me dessa rigidez interna, na forma de movimentos pélvicos, yoga sensual e dança… com variados ritmos, pois têm diferentes objectivos… e como era feito em tempos ancestrais, só entre mulheres! porque a minha dakini interna pode ajudar a despertar a tua dakini interna e juntas somos certamente mais poderosas, mais deusas, mais dakini!
O workshop Dança Dakini é dia 2 Outubro das 17:30 às 18:30 e neste momento há apenas 3 vagas!

A Dança Dakini também irá fazer parte de um programa intensivo de fim de semana de Love & Life Empowerment para mulheres que vou lançar ainda este ano. O primeiro será dias 5 e 6 Novembro.

A Newsletter Bimensal Ser Dakini de Setembro/Outubro, será lançada em meados/finais de Outubro e incluirá um relatório geral (aspectos positivos e negativos segundo a minha perspectiva) sobre as Primeiras Jornadas de Sexualidade Sagrada que participei nos finais de Julho em Marvão e sobre o Empowerment de Vajravarahi que estive presente em meados de Setembro em Barcelona. Vai também incluir algumas dicas de Dakini Yoga… :D. Para receberes esta newsletter gratuita online faz a tua subscrição aqui.

Pede também para aderires ao grupo secreto do Facebook: Círculo das Dakinis

E vê o meu vídeo de apresentação da Dança Dakini do meu Canal do Youtube:

Próximos Eventos:

seminarios_polaridade-fasesformac%cc%a7a%cc%83olujong

 

Trago comigo encantamento…

Image-1 3

Neste tórrido mês de Agosto, no inspirador cenário natural do Monte Mariposa, juntamo-nos num círculo de Dakinis, guiadas pelo coração e pela sabedoria da Ana Taboada, para celebrar e (re)descobrir a mulher, a deusa, que somos. Foi maravilhoso!
O que trouxe comigo? Ah! tanta coisa que é difícil explicar, as palavras parecem não chegar…
Trago comigo encantamento com o meu corpo, com a minha capacidade de sentir.
Trago um sentimento de união, de irmandade no feminino – somos irmãs de corpo e coração, e é tão belo que me emociono sempre que penso nestes dias. Sorrio sempre que penso em nós, juntas, a celebrar. Foi lindo!
Trago comigo novas práticas, que tenho procurado tornar diárias. Sinto o meu corpo a responder com mais alegria, com maior vivacidade e vigor, com mais poder!
Caminhar pelo meu centro de poder tornou-se uma nova forma (quase) natural de caminhar – o meu corpo começa a assumir essa postura como a minha maneira de me apresentar ao mundo, quase sem esforço. E a resposta dos outros é tão forte que mais uma vez me faz sorrir – temos realmente um poder incrível dentro de nós!
Trago comigo as gargalhadas, as brincadeiras, a alegria e as lágrimas, de limpeza e libertação de tantos traumas e medos. E a partilha – que poderosas se tornaram as partilhas!
Trago comigo os tempos de descanso tão sabiamente encadeados entre práticas e ensinamentos – permitiu-me ir integrando cada momento.
Trago comigo o espaço, o belíssimo espaço natural do Monte Mariposa com o cantar das cigarras e o zumbir dos mosquitos, os figos e as alfarrobas, a água tépida da piscina e o calor do sol, o brilho intenso das estrelas e a suavidade dos lençóis, e as saborosas e nutritivas refeições que partilhamos! Que falta me fazem em casa!
O brilho dos meus olhos cresceu e o meu sorriso ampliou-se. Dentro de mim (re)nasceu a felicidade. Sinto amor por mim, por vocês, por nós! Somos maravilhosas!
Em Agosto de 2017 lá estarei (seja esse o meu caminho).

Dakini Sónia
Retiro Celebrar a Dakini – 8 a 11 Agosto – Monte Mariposa (Santa Catarina de Fonte do Bispo – Tavira)

…Já lá vão umas semanas e parece que foi ontem… ler as palavras da querida Sónia fizeram-me recuar no tempo e voltar a sentir aquela força da união, da entrega, da partilha, do poder interno, da irmandade, da autenticidade… e muito, muito mais…

E para quem ainda não viu ou quer recordar, eis o meu mais recente vídeo no meu Canal de YouTube sobre o Retiro Celebrar a Dakini:

 

Dançar com a vida…

Ana1.png

Grande parte da minha vida lutei para ser quem os outros gostariam que eu fosse… lutei por agradar, por ser quem a família, a sociedade, os mestres queriam que eu fosse, sem saber que tudo era fruto dos meus medos e dos meus apegos… mas também lutei para não ser o que os outros queriam que eu fosse, numa ato de rebeldia, do contra, sem saber que era um ato de raiva e de egoísmo…
Agora sei que entre estes dois extremos existe um espaço infinito de ternura e de amor onde me posso abraçar, mantendo o meu centro de poder, estando alinhada com o meu ser, em sintonia com o meu coração… sei que esta é a arte de não rejeitar nada, o poder de transformar tudo o que não faz parte da minha natureza mais profunda, a habilidade de sorrir para os meus medos com a força da compaixão… ainda estou a aprender a aceitar-me inteiramente sem medos do que possa ver, mas também sem resignação, sem acomodação, mas sim com autenticidade de quem quer o melhor para si… e o mais lindo é descobrir que o melhor para mim é também o melhor para o outro, mesmo que o outro não o interprete dessa forma naquele momento.
Aparentemente parece egoísmo esta arte de me amar, de me abraçar completamente… mas o paradoxo é que existe alquimia neste autoconhecimento e de amor comigo mesma… existe o poder de quanto mais me cuidar, aceitar, nutrir, purificar, mais amor sou… e quanto mais reconheço esse amor, menos egoísta sou… pois mais posso irradiar esse amor… mais posso conectar-me a partir desse amor… não de forma forçada, mas natural!
É aprender a dançar com a vida… não rejeitando as emoções, os medos, mas ao aprender a abraçá-los, ganhar a capacidade de os transformar… é saber repousar nesse espaço de ternura e vulnerabilidade, sem ter medo de errar, porque sei que estou a dar o meu melhor a cada momento… qual é o meu melhor? A cada instante fazer por estar consciente de tudo em mim ou à minha volta e detectar o que me faz contrair, repousar ou expandir… da contração vem o sofrimento… do repouso vem a paz… da expansão vem o êxtase! A escolha é minha e só minha… e esse poder de decisão vem da minha tomada de consciência ou mindfulness.
Esta é a dança da vida… aprendendo a aceitar-me, a abraçar-me com contentamento, porque eu sou a vida! Aprendendo a transformar e a criar porque eu sou a criadora! Aprendendo a celebrar a vida porque eu sou amor e sou êxtase!
Nesta dança aprendi a ser mais genuína, mais honesta… mais corpo, mais sensorial… mais sensual, mais coração… mais sábia, mais criativa… menos emotiva, mais sentimento… menos mente, mais inteligente… mais mulher, mais amante, mais inteira, mais completa… mais Dakini!

 

IMG_1256

Porquê entre mulheres?

Snapshot 2.png

Se as mulheres podem revelar as suas qualidades mais impuras quando na presença de outras mulheres , ora ciúmes , inveja , raiva , etc… também é verdade que elas podem , como numa irmandade , sentirem empowerment na presença de outras mulheres. Esse é o poder da energia feminina coletiva que tem o mesmo propósito e nesse poder podemos realmente nos ajudar umas às outras de forma profunda. E assim cada vez mais consciências femininas despertam e essas consciências , através de relações cada vez mais autênticas , podem ajudar muitos homens também a despertar as suas consciências masculinas.

Porquê entre mulheres foi o meu último vídeo já online no meu Canal de YouTube.

“A forma mais habitual das pessoas desistirem do seu poder é ao pensarem que não têm nenhum.”
Alice Walker

Porquê que a mulher precisa de resgatar o seu poder feminino inato?

Porque a mulher muito facilmente cai , ora na extrema vulnerabilidade devido a emotividade excessiva , ora na frieza e padrão controlador do pensamento.
A mulher precisa de encontrar o seu verdadeiro poder que reside no seu centro de autenticidade da energia feminina e a partir desse poder relacionar-se com o mundo , a vida e os outros de forma cada vez mais pura.

Aprender a repousar na nossa natureza mais pura que não tem género … aprender a desbloquear e curar o nosso corpo e mente feminina … aprender a resgatar a nossa energia mais vital e a irradiá-la de forma natural … aprender a transformar a energia do desejo e do prazer em êxtase cada vez mais interno e incondicional … aprender a amar de forma cada mais livre , mas sem perder a relação de interconectividade … aprender a ser mulher mais interna , mais completa , aquela que é inocente , mas também selvagem ; que é mãe , mas também sensual ; que é amorosa , mas também poderosa ; que é compassiva , mas também autêntica … é aquela que ao ser amor é liberdade , mas ao ser liberdade não deixa de ser amor! Este é o trabalho de Love & Life Empowerment para mulheres … aprender ferramentas que têm por base mindfulness dos sentidos e do coração , meditações e visualizações , yoga e movimentos conscientes , práticas do Tantra e Tao e muitas outras criações minhas como a Dança das Dakinis e Massagem da Dakini.

No dia 9 Julho , sábado , decorrerá o próximo Círculo das Dakinis , desta vez para entrarmos mais profundamente no nosso templo do amor , o nosso Lótus ou órgão sexual. Este círculo é aberto a todas as mulheres de qualquer idade ou fase da sua vida.

Em Agosto irá decorrer o primeiro Retiro de Love & Life Empowerment para Mulheres – Celebrar a Dakini – e a primeira fase de inscrições (com desconto) acaba no final deste mês.

Se és mulher e queres abrir o teu coração , o teu corpo e a tua mente , as práticas , técnicas e ferramentas ensinadas no Celebrar a Dakini , são a forma mais rápida , acessível e agradável de sermos mais felizes , mais livres , mais autênticas.

Podes encontrar mais informações sobre este retiro em baixo … e enviar-me um email para receberes um documento com todas as informações … e ainda ver este vídeo sobre o meu trabalho de Love & Life Empowerment para Mulheres.

Para receberes a Newsletter Ser Dakini faz a tua subscrição aqui. E para mais informações sobre a massagem , consultas , círculos , etc para mulheres consulta esta secção do meu blog.

Retiro Love & Life Empowerment para Mulheres : Celebrar a Dakini

8 a 11 Agosto | 200€ (inscrições até 30 Junho) ou 250€ (inscrições até 5 Agosto)
+ Info & Inscrições : ana@anataboada.com

(para inscrição é necessário o pagamento inicial de 150€, o restante valor do retiro – 50€ ou 100€ – é pago em numerário no check-in)

Retiro orientado por Ana Taboada

INICIO: 8 Agosto às 18:30
FIM: 11 Agosto às 15:00
LOCAL: Monte Mariposa | Algarve

Descrição:

Chega o momento das mulheres tomarem consciência ; darem espaço para si mesmas e para se descobrirem ; recolherem-se no silêncio para meditar e entrar no seu mundo mais profundo ; refugiarem-se em retiros para despertar a sua relação e intimidade consigo próprias ; relaxarem os seus corpos ao dançar ou fazer movimentos conscientes , ao brincar , ao rir , ao cantar , ao dar cor à sua vida e ao embelezarem-se não para o outro a ver , mas para ela mesma se sentir viva e se reconhecer bela … até que começam de forma natural a abrirem os seus sentidos , a resgatar a sua sensualidade inata , a estarem completamente conscientes ao sentir , ao seu interior … e com plena consciência poderem sentir um prazer cada vez mais puro e mais interno e assim transformarem os seus desejos e prazeres em felicidade-êxtase (ou bliss) … e esse êxtase ser a oportunidade para reconhecerem o seu amor puro mais interno que as preenche , as completa , que as faz sentirem-se em casa!

Teoria inclui:

▪ O que é a consciência pura e ilimitada da mulher (a consciência da Dakini)…
▪ Criar espaço no coração para o amor, compaixão e devoção…
▪ Importância e benefícios de despertar a energia sensual e sexual natural…
▪ Como libertar traumas, medos, bloqueios relacionados com a sexualidade e sensualidade para a mulher ser mais confiante e livre…
▪ O corpo feminino como o templo do amor – anatomia e fisiologia feminina numa visão sagrada da sexualidade: saúde, cuidados, auto-estimulação, ciclo menstrual e hormonal, massagens, conselhos…
▪ O que é a mulher completa e inteira como amiga, como amante e como mãe…
▪ Como expandir a consciência da mulher à criatividade, ao poder interno, à arte de ouvir o coração e realizar os desejos mais profundos…
▪ Introdução à arte da sexualidade sagrada…

RetiroDakinis2_AnaTaboada

Próximos eventos:

Dakinis_Julho_AnaTaboada