Filosofia & Psicologia Budista Tibetana

CursoFilosofiaBudista

Curso de Psicologia & Filosofia Budista: Treino do Coração 2

Evento: Ciclo de Cursos de Filosofia & Psicologia Budista
4o Módulo: Treino do Coração (módulo independente e aberto a todos)
Data: Domingo, 11 Setembro
Hora: 14:00 às 19:00
Local: Estúdio de Yoga Tibetano – Ana Taboada
Preço: 40€ por pessoa

Descrição:
Este ciclo de cursos serão divididos em três partes:
– Treino da Mente
– Treino do Coração
– Treino do Corpo
Estes cursos estruturados são para todos os que se interessam por saber mais sobre a vida , sobre a mente , a natureza da dor e do sofrimento e como ser naturalmente feliz … e , claro , aberto a todos os curiosos que acham que podem aprender algo mais com esta sabedoria ancestral que hoje em dia está cada vez mais atual com os avanços da ciência.

Programa Treino do Coração 2:
– evolução, karma e renascimento
– o significado e processo da morte segundo o budismo tibetano
– estudo dos vários estágios da morte para aprendermos a respeitar a morte sem medo
– introdução ao budismo tantrayana
– Prática da meditação na natureza impermanente dos fenómenos

Inscrições: ana@anataboada.com

***
Mais sobre este curso:

Este curso é formado por módulos independentes. Neste módulo o tema é o Treino do Coração e vai abordar aspectos muito importantes da filosofia budista.

Começaremos por debater sobre a Evolução, o Karma e o Renascimento. Esclareceremos os seus significados e debataremos erros e mal entendidos habituais sobre estes assuntos. Dentro do karma falaremos da Lei da Causa e Efeito e da importância do seu bom entendimento e da sua consciência para termos vidas mais felizes e realizadas.

A seguir o aspecto da morte será bastante esclarecido e debatido pois é um tema fundamental nas nossas vidas.

A morte é certa. A única incerteza é quando e como. Na tradição Budista meditar sobre a morte não é apenas uma preparação, mas uma forma de aprendermos a viver melhor.
Sempre que nos sentirmos perdidos, dominados pela preguiça ou agitados com muitos projectos, reflectir sobre a morte e sobre a impermanência faz-nos trazer à realidade.
Os mestre tibetanos dizem que meditar sobre a impermanência é a vacina para a vida. Compreender e integrar estes ensinamentos na vida diária é o que nos torna seres mais espirituais.
Ao contrário de ficarmos assustados, reflectir sobre a morte faz-nos apreciar o valor desta preciosa vida humana. Além disso, saber o que é e como se processa a morte nos seus diferentes estágios dissipa o medo e a ignorância. Aprendermos a aceitar a morte nem com medo, nem com excitação, mas sim como um facto inevitável para o qual devemos estar preparados. Conduz-nos a uma maturidade que permite através das nossas escolhas e decisões, renunciar com naturalidade as futilidades da vida e assim sermos menos escravos dos antigos hábitos tão enraizados e passarmos a ser mais livres.

Toda a nossa vida é este contínuo pulsar de nascimento e morte, de principio e fim. Nada nesta existência é permanente. Esta é a dança da vida. Buda disse:
“A existência é tão transitória como as nuvens de Outono.
Observar o nascimento e a morte dos seres é como olhar para os movimentos de uma dança.
O tempo de uma vida é o clarão de um raio no céu,
Correndo à pressa, como uma corrente numa íngreme montanha.”

Ignoramos totalmente a verdade da impermanência e por isso sofremos tanto. Mas todo o universo é este pulsar. É esta dança de mudança, movimento e fluxo que serve de base a toda a criação.
Basta olhar à nossa volta e para nós para vermos essas mudanças. As estações, o tempo, as flores, os rios, os vizinhos, a nossa pele, a nossa beleza, o nosso humor… tudo é impermanente e não existe nada que seja sólido ou permanente que possamos apontar. E quando finalmente reflectimos sobre a impermanência parece tão obvio.

Mas será que realmente a compreendemos ao ponto de a aceitar com naturalidade sempre que a vida nos apresenta à frente dos nossos olhos? Será que a integramos de tal forma nos nossos pensamentos, acções e palavras que passamos a gerar uma genuína compaixão por todos os seres? Será que o seu entendimento faz-nos deixar de estar dominados pela preguiça e, com a força de um verdadeiro guerreiro, lançar-nos na conquista incansável pela liberdade?

Conhecer a morte leva-nos à revelação da verdadeira natureza da nossa mente que está para além das aparências, dos limites e das fronteiras, do principio e do fim. Esta natureza serve de base à dança da impermanência.
Este continuo estudo e contemplação permite-nos mudar radicalmente a forma de ver a realidade, a vida e o mundo. Por isso, estudar e prepararmo-nos para a morte faz-nos aprender a viver e a ser feliz.

O grande yogui tibetano Milarepa disse:
“Horrorizado com a morte, fugi para as montanhas,
Para meditar na incerteza da hora da morte,
Até capturar a fortaleza infindável e imortal da natureza da mente.
Agora todo o medo da morte já desaparecera.”

Terminaremos este módulo com uma introdução ao veículo Tantrayana do Budismo Tibetano… o que é? quais os principais princípios e fundamentos? Debataremos sobre as diferenças relativamente aos outros veículos, os requisitos para entrar neste veículo e quais os seus objectivos.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s