Curso de Formação de Professores de LU JONG

LuJong

Caros amigos e amigas,

O Curso de Formação de Professores de Lu Jong que tinha como data de inicio este fim de semana de 2 e 3 Março, por motivos de trabalho, teve de ser adiado para o fim de semana de 23 e 24 Março.

Todos os que ainda pretendem frequentar este curso deverão inscrever-se o quanto antes para que eu possa receber os manuais a tempo do primeiro módulo. Quem desejar receber mais informações sobre esta formação deverá enviar um email para ana@anataboada.com com o assunto LuJong_Braga. Esta vai ser a terceira edição deste curso tão precioso.

Em Lisboa este curso iniciará em finais de Julho e terá um formato intensivo. Para receberes mais informações envia um email com assunto LuJong_Lisboa.

É provável que para o ano não possa realizar este curso em Braga, pelo que aconselho a todos os que estão realmente interessados, a aproveitar agora. Esperar pelo melhor momento nunca é a melhor solução, porque esse momento nunca chegará. Somos nós que fazemos esse momento com o Poder da Decisão!

Deixo-vos com algumas palavras escritas por mim num artigo anterior sobre Ser professor de Lu Jong: uma dádiva e um privilégio. São palavras simples, mas muito sinceras.

“Quando em 2007 tirei o curso de professora de Lu Jong com o Venerável Mestre Tulku Lobsang não imaginei o impacto que esta prática viria ter na minha vida. Apesar de ter sido um curso que jamais vou esquecer pela afinidade imediata que senti por este mestre e pelos seus ensinamentos, a prática de Lu Jong em si não foi um amor à primeira vista. Gostava muito de praticar e de ensinar, mas não sentia que esse amor era natural e espontâneo.

A minha paixão por movimentos mais desafiantes e exigentes sempre me levaram a pensar que o Lu Jong era só para quem não tinha um corpo em forma e trabalhado. Oh, como estava enganada…!!!

Por estranho que pareça foi em 2011, quando me tornei formadora de professores de Lu Jong – a convite de Tulku Lobsang – que passei a amar cada vez mais esta prática.

Primeiro, através da fé analítica, desenvolvi a convicção do quanto era importante e benéfico o Lu Jong para mim e para os alunos. Os efeitos positivos que esta prática tinha nos alunos saltavam à vista. Descobri que eram mais que movimentos fluidos, mas sim um trabalho subtil aos nossos 72000 canais.

Cada movimento foi desenvolvido para pressionar determinados pontos que abrem, curam e transformam a todos os níveis. Lu significa corpo e Jong significa transformar. Por isso, com o Lu Jong não se pretende apenas o equilíbrio do corpo, da respiração e da mente. O Lu Jong vai mais além… o Lu Jong visa a transformação, a purificação… para chegarmos ao que somos: amor!

Além disso o Lu Jong não é uma invenção moderna de alguém que sabe muito de anatomia e de fisiologia do movimento. É muito mais que simples exercício… foi desenvolvido por grandes yoguis desde o tempo de Buda e mesmo antes de Buda – da tradição Bön no Tibete. E foi transmitido de mestre a aluno através de uma linhagem ininterrupta.

Por isso, ao contrário de outros yogas, o Lu Jong ainda está vivo… traz o carimbo de todos esses grandes mestres e yoguis e de todos os seus ensinamentos. E cada nome dito, cada movimento sentido, cada respiração consciente torna o Lu Jong ainda mais vivo dentro de nós.

Então, o que descobri é que cabe a nós que o Lu Jong tenha todo esse impacto. O Lu Jong tem um grande potencial, mas cabe a nós dar-lhe vida. Como? Amando a prática…

Quando o amor pelo Lu Jong se torna natural e sem esforço, o Lu Jong tem a capacidade de despertar em nós: cada célula, cada hormona, cada gota de amor… e essas gotas intensificam-se e espalham-se. Até chegar ao momento que o Lu Jong é amor em movimento.

Quando nós e a prática ficamos inseparáveis, nós damos o poder à prática de nos transformar.

Descobri que se realmente a prática tem esse potencial, vai garantidamente transformar profundamente.

E como é lindo ver, em especial alunos da formação para professores, a se apaixonarem completamente. É em especial nestes que vejo a grande transformação. Talvez porque quando decidimos a ser professores, não só nos comprometemos a abraçar completamente a prática e a sua filosofia, como também a integrá-la nas nossas vidas. E quanto maior o compromisso, maior a probabilidade dos resultados serem positivos.

Tulku Lobsang diz que a única forma de aprendermos é ensinando. Como é verdade…

Claro que é uma grande responsabilidade manter viva e autêntica esta prática. Mas também é um grande privilégio e uma grande dádiva. Um privilégio estarmos aptos a transmitir esta enorme preciosidade. E é uma dádiva para todos os que estão abertos a receber tal jóia.”

 

E por fim um vídeo gravado nos Açores com um vislumbre do primeiro grupo dos cinco elementos:

 

BodhiSoha!

Com toda a minha dedicação e entusiasmo,

Ana Taboada

Ana's Logo with Circle V2b

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s