A liberdade é a forma de encontrar o amor

Caros amigos e amigas,

Foi no Pico do Abutre na Índia que o Senhor Buda proclamou:

Tadyata Gate Gate Paragate Parasamgate Bodhi Svaha

Estas palavras tão sábias são a essência do Sutra do Coração que é a essência do Budismo.

Em 14 dias de peregrinação Tulku Lobsang Rinpoche ensinou de forma autêntica e profunda este sutra nas terras por onde o próprio Buda andou, ensinou e passou para o paranirvana.

Por causa da nossa visão errada vemos algo que não existe e não vemos o que realmente existe. Estas duas visões erradas trazem-nos os três venenos da mente e cerram-nos no ciclo do sofrimento que é o samsara. Por causa da visão errada temos ignorância e esta traz o apego e o apego traz a raiva e a raiva novamente a ignorância. Para sair do samsara só há uma forma: destruirmos a raiz do sofrimento que é nossa fixação à ideia de eu sólido, independente, de existência separada dos demais. E para nos libertarmos do eu sólido temos de realizar a vacuidade. Que nada existe de forma independente, mas sim em relação de interdependência. Vacuidade significa liberdade.

Não somos livres do “eu” sólido, logo não somos livres dos outros. Por isso, somos seres de existência condicionada e como Buda disse antes da sua morte: toda a existência condicionada é impermanente; tudo o que é impermanente muda; tudo o que muda tem um fim e tudo o que tem um fim converte-se em sofrimento.

O nosso problema é que não sabemos ser livres.

Como podemos ser livres?

Assim respondeu Buda:

“Vai, vai, vai mais além, vai completamente mais além e fica no amor”

O amor somos nós. É a nossa casa. Temos de deixar o samsara e de uma vez por todas regressar a nossa casa.

Não deixamos o samsara porque ignoramos a nossa natureza. A nossa natureza é a sabedoria profunda que é a vacuidade. Na vacuidade estamos livres de tudo e de todos. É ser o nada. E o nada é tudo! É a nossa casa… que é o amor. Porque o amor está livre de tudo.

“Amor é liberdade e liberdade é amor. Amor não é mais que liberdade e liberdade não é mais que amor.”

E eis o meu pequeno resumo do que o meu coração registou e integrou das palavras tão sábias do Verenável Mestre Tulku Lobsang sobre a Perfeita Sabedoria que o Senhor Buda ensinou no Pico do Abutre em Rajagriha na Índia.

Contempla e medita e, se fizer sentido, assim que puderes faz por receberes ensinamentos directos deste mestre tão precioso. Podemos ler, mas o que lemos nunca faz a leitura de nós mesmos. O mestre tem essa capacidade. Transmite os ensinamentos de forma a recebermos de forma correcta, porque é capaz de fazer a leitura do aluno.

Em final de Janeiro Rinpoche voltará a Braga para consultas, palestra e workshop. Fica atento!

Como todo o meu amor e liberdade,

Ana Taboada

2 thoughts on “A liberdade é a forma de encontrar o amor

  1. Obrigada por estas palavras tão inspiradoras :)) e pela liberdade que assumes ao transmiti-las, não falando do Amor !!!
    Beijinhos

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s