A chama do Amor!

 

"Queres ser bela? Ama."

 

Caros amigos e amigas,

 

Depois de assistir à palestra de ontem do Mestre Tulku Lobsang sobre “Amor para sempre”, fiquei inspirada para vos escrever sobre o amor. Aquele tema que me aquece sempre profundamente o meu coração, mas que nem sempre é fácil de o expressar da melhor forma! 🙂

 

Não conheço ninguém que consiga colocar em palavras, de forma tão concisa, humorada e profunda, temas complexos, como o faz tão sabiamente Tulku Lobsang! Um publico diversificado, com muitas pessoas desconhecedoras da tradição Budista e a maioria sem ser aluno do Lama, mas conforme a palestra vai se desenrolando, as palavras e os sentidos vão aquecendo, com muita lógica, até chegar ao ponto de foco! As pessoas riem-se, descontraem e sentem que as suas palavras lhes tocam o coração! Lindo, diria mais, soberbo! 🙂

 

Não esperem que sejam as palavras do próprio Lama que vão ler, até porque não tirei apontamentos e nem é essa a minha intenção com este artigo… e nem que as minhas palavras vos toquem como tocariam as do próprio Lama, pois quem sou eu para expressar tão sabiamente um tema tão profundo… mas será mais a minha própria perspectiva e experiência sobre esse tema, inspirada pelas palavras sábias que ontem ficaram gravadas no meu coração. É como se essas palavras chave fizessem desabrochar e acender essa chama que todos queremos manter bem acesa e cada vez maior: o nosso amor puro inato! E quando esse amor cresce e se expande mais um pouco, faz-nos olhar para a vida de outra forma: com uma visão ainda mais clara e mais confiante! 🙂

 

Gostei muito quando Tulku Lobsang disse que só quem é corajoso é que deveria amar de verdade. É preciso ter coragem, porque para amarmos com um coração puro, temos de dar tudo aquilo que nos faz feliz e estarmos prontos para recebermos o que não queremos… esse é o amor puro! Eu diria que esse é o coração do verdadeiro guerreiro espiritual, que não tem medo de nada, pois não tem nada a perder e não espera ganhar nada em troca… porque de facto quem ama, já tem tudo! 🙂

 

Mas, amigos, estamos a falar de um amor muito profundo, subtil e puro… não esse amor que encontramos nos corações avermelhados estampados em cartões, velas, peluches e outros presentes, muito associados ao dia de São Valentim! Ou esse amor de coração desfeito, partido… ou muito menos aquele que diz “amo-te” só para se sentir de consciência menos pesada!

 

Não é o amar do “ter” ou “possuir”. Como diz Tulku Lobsang: “possuir é perigoso”… oh, como é! E sabem porquê? Simplesmente, porque deixamos de ver o que está à nossa frente e, psicologicamente, isso vai mudar a forma como pensamos relativamente ao objecto em causa. Quando temos, automaticamente esquecemo-nos que temos e deixamos de usar, porque deixamos de ver… Por isso, para amar de forma saudável, temos de criar distância com o que gostamos… só assim podemos continuar a ver, o que queremos amar!

 

Também não é o amar do medo… medo de perder, medo de não receber… quem ama sai sempre vencedor, mesmo que perca a guerra! 😉 Porque não se esqueçam que quem ama de verdade, tem tudo! Porque o verdadeiro amor é infinito, não tem principio, nem fim! Então, porque ter medo que o amor acabe, se ele é por natureza abundância???!!!!

 

Nem tão pouco é o amor da expectativa, não há nada a esperar, a receber… porque o próprio amor que sentimos, é o nosso maior presente nesta vida e, portanto, quem o sente está sempre em vantagem! Porque isso, Tulku Lama diz muito sabiamente: “se me amas, és tu que me tens de agradecer!”.

 

Por isso, ao amor pequenino, normal e comum, eu diria que temos de lhe acrescentar uma série de ingredientes:

–       Metta, que significa bondade, é ser gentil como é a chuvinha suave e leve – quando amamos, sentimo-nos leves, afáveis, amáveis e relaxados.

–       Karuna, que significa compaixão, essa fogo da intenção e da capacidade em aliviar e transformar o sofrimento dos outros e o de nós mesmos – quando amamos desejamos que todos os seres, incluindo nós próprios, sejam felizes.

–       Mudita, que significa alegria de viver, apreciar simples prazeres tais como a pulsação de uma respiração ou um sorriso ou o céu azul ou até deslumbramo-nos com um pôr de sol ou mesmo deliciarmo-nos a comer um gelado – quando amamos, a alegria rodeia-nos e permeia-nos.

–       Upekkha ou upeksha, que significa equanimidade e estabilidade, e não indiferença ou desapego; é a capacidade de nos sentirmos completamente conectados, sem qualquer fixação ou possessividade – quando amamos, não sofremos de emotividade ou esgotamento emocional, muito menos de depressão, mas abraçamos com a força do coração o que quer que aconteça.

–       Moksha, que significa liberdade e espaço, porque o verdadeiro amor não pensa, por isso destrói os conceitos; quando amamos um, amamos tudo e todos, somos somente amor.

 

Então tudo se torna bem mais simples, a vida torna-se simples. E como a vida é bela!

 

Deixo-vos com um poema que marcou a minha juventude e ainda hoje me toca:

“Vem do amor a Beleza,
Como a luz vem da chama.
É lei da natureza:
Queres ser bela? – ama. (…)”

Almeida Garrett

 

Como é fácil, não é?! Talvez é por ser tão fácil, que o tornamos tão dificil… porque todos nós somos essa chama de Amor.

 

Queres que a vida seja bela? Queres ser bela? Então, simplesmente ama…

 

Com todo o meu amor,

Ana Taboada

2 thoughts on “A chama do Amor!

  1. Boa tarde Ana, e obrigada por estas bonitas palavras! Conhecia-a através do Facebook e identifiquei-me com as suas ideologias e com a necessidade de mudança que as criaram, pois encontro-me num processo semelhante… Mas ainda me sinto muito só exteriormente, no que se refere a orientação espiritual, pois foi um mundo novo este que recentemente se tem aberto para mim… Ainda assim sinto a sincronia dos elementos com que diariamente o Universo me presenteia e vou seguindo serena, repleta de Amor (não correspondido) mas muito sentido, que me enxe a alma e o coração de gratidão, por isso as suas palavras me fizeram tanto sentido. Sou feliz!!! 🙂 Desejo-lhe toda a felicidade do mundo. Namasté

    • Obrigada Maria do Céu pelas suas palavras. Sinto que vieram do coração!
      A mudança tem de ser feita de dentro para fora… qdo nós mudamos, tudo muda! A vida muda, o planeta muda!
      E a felicidade é o caminho, o método e a meta… é o que somos! 🙂
      Com gratidão,
      Ana Taboada

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s