Help!

Image-1 20

Ontem recebi um email de uma amiga a dizer o quanto estava comovida ao ter lido um antigo email meu de resposta a um “Help!” seu…
“Help!” era o assunto do seu email e já foi em Julho de 2013, mas ao ler as minhas palavras de resposta também eu fiquei comovida… certamente que eu estava inspirada quando as escrevi e tocaram-me tanto que resolvi partilhá-las neste artigo…
Todos temos momentos que precisamos de gritar Help!, e o quanto é bom termos a quem recorrer e a quem nos possa com a sua empatia e compaixão dar um colinho… há diferentes tipos de colinho para diferentes momentos ou pessoas, mas palavras e orientações que nos confortam e nos aquecem o coração podem ser um deles.
As palavras deste email são muito simples e poucas, mas as suficientes como resposta a um email de quem já me tinha ouvido muito:

“Luta pelo que queres, mas não lutes contra o que não queres…. entendes? Quanto mais lutas, mais te enterras. É como estar num lago lamacento. Nunca sairás de lá se reagires muito… mas se com calma procurares soluções, então vais conseguir. Mas não em desespero. Porque a mente agitada não toma boas decisões.
Começa lentamente a procurar alternativas para o fazes, a estar atenta e assim encontrarás as oportunidades.
Por vezes pode demorar anos até conseguirmos, mas vale a pena o esforço. Não desistas, mas também não desesperes!
Procura colocar os ensinamento em prática, é assim que vais conseguir… e acredita que é possível! Tudo é possível!
Tem calma… gradualmente vai fazendo o que gostas… gradualmente! Porque o caminho faz-se caminhando, passo a passo… ;-)”

Agora recordo-me que na data que escrevi este email não estava numa fase fácil emocional, que teve repercussões graves na minha saúde física… mas olhando ainda melhor para trás vem-me à memória que esse ano não foi de todo fácil, marcado o início com uma separação amorosa de 7 anos que tinha tudo para dar certo, excepto dois caminhos que eram cada vez mais diferentes e que tinham de ser respeitados… E mais umas quantas duras lições da vida culminaram num Agosto com uma infeção nos rins e uma enorme debilidade física…
Sim, olho para lá e consigo perceber que aliado ao meu conhecimento havia experiência e quando estas duas se combinam de forma perfeita, nasce a tão desejada sabedoria… e ao ler estas palavras consigo sentir uma enorme confiança na vida e isso faz-me soltar uma lágrima, não de sofrimento, mas de comoção… aquele momento quando o sentimento toca fundo o coração e faz estremecer o corpo desde a medula dos nossos ossos.
Como sei agora que conhecimento não basta! Estudar, saber tudo bem estruturado mentalmente apenas nos torna mais controladores. Se este conhecimento não descer ao coração de pouco serve… e a melhor forma de descer ao coração é através da integração da prática na vida e do sentimento. Porque sem sentimento, não há experiência… Juntos, conhecimento (estudo e consciência) e experiência/prática (sentir e meditação), podem se tornar ouro… o ouro da sabedoria!
E sim, o caminho faz-se caminhando, passo a passo… E como o meu coração sorri ao ter consciência do meu caminho, ao sentir os meus passos…

Neste momento dou consultas de orientação espiritual (segundo a psicologia tibetana) de forma presencial, mas também via online. E este ultimo método tem sido cada vez mais solicitado… vê mais aqui e contacta-me por email: ana@anataboada.com.

Próximos eventos:

IntensivosTsaLungDakinis_Julho_AnaTaboadaCursoBudismo

 

Coração cheio de mulher!

 

IMG_1330.JPG

Neste início de Agosto desci até ao Algarve onde deliciei-me com alguns dias de praia antes de iniciar o tão esperado Retiro Celebrar a Dakini… A praia foi um bálsamo, a família um quentinho para o coração, o mar uma purificação, a lua como uma batida forte da mãe natureza a chamar a ser mulher! Sou mulher, sou deusa, sou Dakini… e não podia estar melhor para no dia 8 Agosto iniciar a orientação do meu primeiro retiro só para mulheres no paraíso do Monte Mariposa!

As palavras são secas, sem essência para descrever a plenitude e profundidade daquelas dias na partilha, união e conexão entre aquelas mulheres, tão diferentes, mas tão iguais.
Chorámos juntas… mas rimos ainda mais! Gritámos em sintonia, mas cantámos mais alto! Com coragem de leoas olhámos, sorrimos e abraçámos os nossos medos, fragilidades e vulnerabilidades… despertámos a mulher ancestral, a selvagem, mas também aquela que é sublime e sempre será a deusa! Todas juntas sentimo-nos mais Dakinis… mais empoderadas, mais vivas, de coração cheio de mulher!
Para Agosto de 2017 lá estaremos novamente…

No final deste mês de Agosto publicarei a Newsletter Ser Dakini de Agosto/Setembro onde falarei sobre os principais princípios do Tantra, um relatório sobre as primeiras Jornadas de Sexualidade Sagrada em Portugal e mais alguns apontamentos sobre este retiro tão especial… Ainda podes subscrever através deste link: https://madmimi.com/signups/209504/iframe

Neste próximo sábado dia 27 Agosto há aula intensiva de Tsa lung e aproveita porque as aulas regulares no Estúdio só iniciam na 2a feira dia 12 Setembro!
Também abrirei uma turma de Dança Dakini e outra de Yoga Dakini (só para mulheres) às 18:00 de segunda e quinta respectivamente.
E a partir de Setembro surgirão muitas novidades em workshops, cursos e seminários… para mulheres e para homens!

E porque nunca é demais falar deste retiro Celebrar a Dakini, eis o lindo testemunho de uma das Dakinis:

“Conheci a Ana no dia 8 e março (dia da Mulher) deste ano quando decidi participar numa apresentação sobre “Mindfulness dos Sentidos” que dinamizou em Braga, local onde nasci e quase sempre vivi. Nessa altura, sentia-me algo desorientada, presa a medos e acontecimentos pessoais que teimavam em controlar a minha atitude perante a vida. Vida que se centrava em cuidar dos que me rodeavam, a nível pessoal e profissional, esquecendo-me da minha essência como Mulher. Depois de ouvir a Ana, que de forma tão natural partilhou alguns dos seus conhecimentos sobre Mindfulness, apercebi-me que podia ser muito mais feliz e decidi que tinha que cuidar de mim e procurar alcançar a tranquilidade interior que tanto desejava!
Quando soube da realização do retiro “Celebrar a Dakini!” senti que seria algo que tinha que participar. E de facto estou tão orgulhosa dessa minha decisão. Fui sem saber muito bem para o que ia, mas com muita vontade e curiosidade. E sentindo sempre que iria cuidar de mim! Conheci Mulheres com uma energia incrível, experienciei algumas práticas de Yoga tibetano (como o Lu Jong, Tsa Lung) que desconhecia totalmente e que me fizeram sentir tão bem física e mentalmente, reaprendi a ser Mulher em toda a sua plenitude, sem barreiras nem tabus mas com toda a naturalidade e sensualidade. E regressei ao meu “mundo real” com uma energia interior que me tem permitido ultrapassar barreiras interiores e descobrir uma forma de estar e viver a vida com tranquilidade, leveza, bem-estar e autoestima. E a dançar com o corpo e com a nossa mente! Obrigada Ana e a todas as Dakinis! Um abraço apertadinho a cada uma de vós. Até breve!”
Dakini Isabel – Braga

E eis o meu mais recente vídeo no meu Canal de YouTube só podia ser para recordar o Retiro Celebrar a Dakini:

 

Próximos Eventos:

IntensivosTsaLungDakinis_Julho_AnaTaboadaCursoBudismo

Honrar ser mulher, ser mulher por inteiro!

 

Image-1 5 copy.jpg

O que será ser mulher por inteiro? O que é isso de ser mulher completa? E o que é honrar ser mulher?
É bastante claro para mim que honrar significa abraçar todo o universo de um ser e não apenas uma parte… mas é também dar-lhe a devida atenção e valor… É sem vergonha e sem sentimento de culpa, olhar, reconhecer e adorar! Exige aceitação e apreciação.
Aceitar que ao ser mulher tenho uma mente que ora cai num padrão feminino demasiado emotivo que se vitimiza, ora no padrão masculino demasiado racional que se torna controlador… é purificar essas energias para que o feminino e o masculino dentro de mim se equilibrem e a inteligência se converta em sabedoria.
Aceitar que tenho uma força selvagem que corre no meu sangue e nasce nos meus ossos… é libertar a mulher ancestral que está para além da cultura, da sociedade e do conceito, que é fogo e que é terra, que é coragem e se expressa sem medo. É descobrir esse meu centro de poder interno e colocá-lo em acção respeitando o meu alinhamento.
Aceitar que tenho um coração que ama, que cuida, que acarinha e vê a beleza à sua volta como reflexo da sua própria beleza. É a suavidade da água e do vento que me faz ser doce, flexível, amorosa, ser amante, mãe e cuidadora.
Aceitar que nesta mulher há a inocência de uma criança que grita para ser espontânea, criativa e que anseia por rir até chorar e brincar até morrer…
Aceitar que esta mulher se deve olhar ao espelho e gostar e adorar o que vê, gostar e adorar o que toca… um corpo perfeito para despertar mil e uma sensações e para sentir puro prazer. Um templo sagrado que é sensorial e que é sexual e que é sensual e que precisa de ser nutrido e cuidado, curado e transformado, respeitado e purificado… e não só uma parte, mas sim todo ele, incluindo as partes mais íntimas e mais sagradas que contêm escondidas os seus maiores tesouros, mas também o seu passado recalcado, os seus medos escondidos, a sua herança mal resolvida, a sua vergonha disfarçada.
Aceitar que esta mulher quer ser feliz, quer amar, quer sentir êxtase até ao infinito porque este é o seu potencial… quer expandir, quer ser inteira, quer ser completa porque isto é ser Dakini!

Resgatar a mulher inteira, aquela que é fogo, mas também água… aquela que é terra, mas também vento… aquela que aprende a equilibrar e purificar as suas energias mais femininas e mais masculinas… aquela que é mente, mas também é corpo… aquela que é coração, mas também selvagem… aquela que é criança, mas também é deusa… aquela que dança no espaço aberto empoderada e livre de medos… aquela que se rende e se entrega sem perder a sua autenticidade… É curar a mulher ferida, é transformar a mulher selvagem, é sublimar a mulher deusa, é celebrar a mulher Dakini!

Amanhã vou descer até ao Algarve… no sábado irei realizar em Faro um Círculo das Dakinis Especial e na segunda inicia o tão esperado retiro Celebrar a Dakini. Estou hiper entusiasmada porque não tenho dúvidas que vai ser muito lindo e especial… As inscrições para este retiro terminam esta sexta, dia 5 Agosto… a roda está linda e perfeita, mas ainda há lugar para ti!

No passado domingo regressei de 3 dias intensivos no Marvão onde participei nas 1as Jornadas de Sexualidade Sagrada… Na próxima Newsletter Ser Dakini (do mês de Julho/Agosto) além de abordar os principais princípios do Tantra como tinha proposto, decidi também fazer um relatório sobre estas jornadas: o balanço positivo; as principais críticas; a descrição geral do que foi feito; o que senti de uma forma geral e quais foram os meus desafios. Esta Newsletter também incluirá uma partilha muito linda de uma mulher que tem a coragem de estar a trilhar um caminho de autodescoberta e de resgatar a sua dakini. Ainda podes subscrever esta Newsletter através deste link: https://madmimi.com/signups/209504/iframe

E eis o meu mais recente vídeo já online no meu Canal de YouTube sobre o princípio ativo da Dakini:

Image-1 7.jpg

Próximos Eventos:

RetiroDakinis2_AnaTaboadaPoderFeminino-AlgarveLuJong

Dançar com a vida…

Ana1.png

Grande parte da minha vida lutei para ser quem os outros gostariam que eu fosse… lutei por agradar, por ser quem a família, a sociedade, os mestres queriam que eu fosse, sem saber que tudo era fruto dos meus medos e dos meus apegos… mas também lutei para não ser o que os outros queriam que eu fosse, numa ato de rebeldia, do contra, sem saber que era um ato de raiva e de egoísmo…
Agora sei que entre estes dois extremos existe um espaço infinito de ternura e de amor onde me posso abraçar, mantendo o meu centro de poder, estando alinhada com o meu ser, em sintonia com o meu coração… sei que esta é a arte de não rejeitar nada, o poder de transformar tudo o que não faz parte da minha natureza mais profunda, a habilidade de sorrir para os meus medos com a força da compaixão… ainda estou a aprender a aceitar-me inteiramente sem medos do que possa ver, mas também sem resignação, sem acomodação, mas sim com autenticidade de quem quer o melhor para si… e o mais lindo é descobrir que o melhor para mim é também o melhor para o outro, mesmo que o outro não o interprete dessa forma naquele momento.
Aparentemente parece egoísmo esta arte de me amar, de me abraçar completamente… mas o paradoxo é que existe alquimia neste autoconhecimento e de amor comigo mesma… existe o poder de quanto mais me cuidar, aceitar, nutrir, purificar, mais amor sou… e quanto mais reconheço esse amor, menos egoísta sou… pois mais posso radiar esse amor… mais posso conectar-me a partir desse amor… não de forma forçada, mas natural!
É aprender a dançar com a vida… não rejeitando as emoções, os medos, mas ao aprender a abraçá-los, ganhar a capacidade de os transformar… é saber repousar nesse espaço de ternura e vulnerabilidade, sem ter medo de errar, porque sei que estou a dar o meu melhor a cada momento… qual é o meu melhor? A cada instante fazer por estar consciente de tudo em mim ou à minha volta e detectar o que me faz contrair, repousar ou expandir… da contração vem o sofrimento… do repouso vem a paz… da expansão vem o êxtase! A escolha é minha e só minha… e esse poder de decisão vem da minha tomada de consciência ou mindfulness.
Esta é a dança da vida… aprendendo a aceitar-me, a abraçar-me com contentamento, porque eu sou a vida! Aprendendo a transformar e a criar porque eu sou a criadora! Aprendendo a celebrar a vida porque eu sou amor e sou êxtase!
Nesta dança aprendi a ser mais genuína, mais honesta… mais corpo, mais sensorial… mais sensual, mais coração… mais sábia, mais criativa… menos emotiva, mais sentimento… menos mente, mais inteligente… mais mulher, mais amante, mais inteira, mais completa… mais Dakini!

Já estão abertas as inscrições para o próximo Curso de Meditação Mindfulness – a base de toda esta dança!

E para as mulheres que tal como eu querem aprender a dançar com a vida, relembro que ainda estão abertas as inscrições para o Retiro Ser Dakini… Já está uma bela roda de 10 mulheres! Vem e junta-te a nós…

Vem para que todas juntas, com entrega e partilha, possamos celebrar a Vida e a Dakini!
Com Círculos para numa roda viva aprendermos, partilharmos, debatermos, refletirmos e praticarmos…
Com Massagens para mais facilmente desbloquear e permitir que a nossa energia vital possa fluir livremente…
Com Dança para esvaziar a mente de conceitos e libertarmos a nossa sensualidade natural…
Com o Movimentos dos 5 elementos do Lu Jong e outros para curarmos e equilibramos os nossos corpos e mentes…
Com Meditação contemplativa para estarmos profundamente presentes e reconhecermos a nossa consciência pura ilimitada…
Com Mindfulness dos sentidos para abrirmos as portas para o mundo e a partir do nosso centro de poder, brincar com a vida através de relações autênticas com tudo e com todos…
Com Mindfulness do coração para aprendermos a arte de amar sem medo…
Com Exercícios taoistas para ativar , circular e sublimar a energia sexual…
Com Práticas tantricas para despertar para a energia da vida, para o prazer sublime e êxtase…
Para Curar , Transformar e Celebrar a Dakini!

A próxima Newsletter Ser Dakini será lançada para a semana e ainda podes subscrever através deste link: https://madmimi.com/signups/209504/iframe

IMG_1256

Próximos eventos:

RetiroDakinis2_AnaTaboadaPoderFeminino-AlgarveLuJong

Não foi amor à primeira vista…

_MG_9452.jpg

A timidez, a vergonha, o medo da rejeição e de não ser aceite, o receio de magoar por não corresponder às expectativas… uma constante luta interna que levou muitas vezes a profundas tristezas e a uma constante insatisfação… enquanto uma voz profunda interna dizia Não, aquela que se ouvia, dizia Sim… Sim ao quê? Ao foi que foi ensinado, ao socialmente correcto, às crenças e aos conceitos tão bem tatuados na psique…

Sim, estou a falar da pessoa mais importante da minha vida… Toda eu e não apenas uma parte de mim… Eu completa e inteira!
Não foi fácil apaixonar-me por mim… Muitos conflitos comigo mesma me levaram muitas vezes a apaixonar-me por um ideal inalcançável e fora da realidade ou por um príncipe que nunca existiu, senão na minha imaginação. Essa necessidade constante de encontrar algo que me completasse ou que preenchesse aquele vazio…

Quem conhece o meu percurso reconhece bem o quanto foi importante eu aprender a ser honesta comigo mesma, ser íntegra com os meus sentimentos, ser autêntica com o pulsar do meu coração para, sem medo, dizer muitas vezes Não. E essa autenticidade só floresceu quando a minha relação comigo mesma começou a ficar clara, fluida, amorosa, compassiva… E foi assim que aprendi que sem me amar a mim mesma de forma completa, aceitando-me e abraçando-me inteiramente, nunca poderia realmente amar ninguém ou mesmo relacionar-me com autenticidade, com os outros ou com a vida… E como agora tem lógica! Enquanto não me sentir completa, inteira, como posso amar ou relacionar-me sem medo? Como posso apaixonar-me pela vida? Eu sou a vida!

A menina tímida, cheia de vergonha, muito reservada, sempre no seu mundo encantado imaginário, com pouca auto-estima, com carências vindas da sua pouca confiança, sempre com medo de magoar os outros que amava e que muitas vezes, mergulhada em estados exageradamente emocionais, a levavam a vitimizar-se; começa a rebelar-se na sua juventude, ainda não sabendo que movida pela raiva, estava a suprimir a sua energia mais poderosa interna… Dizia muitas vezes Não, um Não de raiva, para contrariar, para ser diferente, para não seguir os padrões normais… Um Não que vinha de um estado de insatisfação interno, aquilo a que eu chamo de um nervosinho residual, aquela irritação permanente…

E estes padrões, estes dois extremos, ainda se repetiram por muitos anos, talvez com menos intensidade consoante crescia a maturidade… E agora sei que até aos 29 anos não atingimos a nossa maturidade espiritual… e foi mesmo com essa idade que comecei a dizer Não, já não movida pela raiva, mas sim pela voz do coração. Ainda com medos, com pouca confiança em mim, mas acreditando que não tinha outra alternativa…
Desisti de um emprego estável, de uma carreira profissional bem vista pela sociedade… Foi algo tão raro naquela época que poucos anos depois foi motivo para uma curta reportagem na RTP1.
E ao longo destes quase 10 anos, foram muitos os gritos que dei ao nível profissional… ao ponto de agora ser muito fácil e natural!

Nessa mesma época do meu primeiro grande grito sacrifiquei constituir uma família para me dedicar ao que amava fazer e à minha prática pessoal… Numa relação amorosa e de companheirismo muito bela de 7 anos, viajei muito, mesmo muito, subi as montanhas mais altas do mundo, vivi imensas aventuras abrindo-me a novas culturas, novas formas de ver a realidade. E cada vez mais apaixonada por práticas ancestrais, sentia-me uma yoguini já bastante confiante e aberta… uma guerreira!

Contudo, no inicio de 2013 dou outro grito enorme e, seguindo a minha autenticidade, termino essa relação amorosa… não por falta de amor, não por falta de respeito, mas porque senti que precisava de seguir outras escolhas, outros caminhos… Como foi difícil esse grito… Aquele vazio que estava tão bem escondido, voltou à superfície… noutro formato, noutro registo e foram precisos estes últimos três anos para começar a preenchê-lo… Como? Nutrindo-me, aceitando-me, não tendo medo de ver de frente os meus medos, para gradualmente começar a sorrir para esses medos… Nestes últimos três anos cruzaram-se no meu caminho pessoas, homens e mulheres, que me vieram mostrar aquilo que ainda precisava muito de trabalhar: as falsas crenças de mim mesma; os meus medos mais profundos e, muito importante, o quanto ainda não era autêntica comigo mesma… Mas de todo este profundo trabalho, com ajuda de práticas, de tomada de consciência, de algum recolhimento, aprendi o que é e onde está o meu centro de poder… esse alinhamento que me permite ser autêntica e estabelecer relações autênticas!

E ao estar apaixonada comigo mesma, como é possível não estar apaixonada pela vida? Tudo na vida… outras mulheres, mas também homens que estão em sintonia comigo… com os prazeres mais básicos, como deliciar-me com uma saborosa comida e bebida ou uma simples respiração que me faz abrir à beleza e simplicidade deste momento presente… com a natureza e todos os seus encantos… com o meu corpo ao dançar, ao caminhar à beira mar, ao abraçar e beijar com paixão, ao fazer amor com rendição… mas também naqueles momentos em que estou sozinha comigo mesma a não fazer nada e simplesmente repouso a minha consciência no espaço do meu coração… e sorrio, sim muitas vezes sem motivo, apenas pelo conforto em não sentir essa luta, em não sentir aquele nervosismo latente… sorrio a essa energia que emerge nesse espaço, à vida!

E se desse desabrochar nasceu o projecto das Dakinis, agora está a nascer Mindfulness dos Sentidos para Relações Autênticas… aprendermos a relacionarmo-nos connosco mesmos para que, com consciência, possamos estabelecer conexões puras com tudo e todos na nossa vida. Sermos mais conscientes do que somos, para expressarmos, com consciência e liberdade, respeito e integridade, quem somos e o que profundamente desejamos ser… Amar com mais consciência… Viver com mais consciência… pois só assim amamos e vivemos sem medos!

No próximo sábado vem conhecer esta filosofia de viver, esta prática de transformar, esta sabedoria para além da ilusão!
Traz amigos, conhecidos, familiares… é um evento totalmente gratuito!

Mindfulness dos Sentidos para Relações Autênticas | Biblioteca Lucio Craveiro da Silva | Sábado , 16 Julho | 10:00
Inscrições gratuitas: marcacoes@blcs.pt ou 253205977

Mais sobre Mindfulness dos Sentidos:
Se por um lado, mindfulness é estar presente ou estar consciente… por outro, os sentidos são as portas para o mundo exterior!
Mindfulness dos sentidos permite-me em primeira instância reconhecer a minha consciência, e desse centro de poder – a minha profunda presença e pura consciência – posso ser autêntica nas minhas relações com o mundo à minha volta.
Seja qual for o tipo de relação que estabeleço, esta deve partir da minha consciência pura e assim derrubar barreiras, permitindo-me relacionar com abertura e autenticidade com tudo e com todos.
Esta é a arte não só de conhecer, relacionar, conectar e entrar em contacto directo profundo comigo mesma, mas também a partir dessa relação de aceitação, auto amor e confiança, poder conhecer, relacionar, conectar e entrar em contacto directo com a vida.

A partir desta consciência plena, acontecimentos difíceis ou pessoas desagradáveis podem-se converter muito facilmente em acontecimentos e pessoas neutras e até em oportunidades para me conectar ainda mais com a minha alegria e felicidade interna…
E se nos relacionarmos, com consciência e liberdade, com os objectos mais desafiantes das nossas vidas – como as relações amorosas, a carreira, o desejo, o dinheiro e até a comida – estes podem se tornar como fontes poderosas de nos conectarmos com a beleza da vida, com a nossa beleza mais inata… é dizermos SIM à vida e nos apaixonarmos completamente por ela, ao mesmo tempo que nos apaixonamos por nós mesmos… é abraçar cada momento com alegria, contentamento e êxtase… é não rejeitar, é não me fixar, é antes seguir o fluxo natural da vida, com total aceitação e entrega!

A vida é como um rio que nunca pára. As margens desse rio são a minha presença e consciência, que lhe dão direção e profundidade. As águas são a energia de tudo o que me rodeia e da própria vida… com essa energia não devo lutar, mas antes abraçá-la e, com total consciência, transformá-la em alegria, felicidade e êxtase!

Mindfulness

Próximos Eventos:

RetiroDakinis2_AnaTaboadaLuJong

Mindfulness dos Sentidos para Relações Autênticas!

olhosFB.jpg

Mindfulness dos Sentidos são um conjunto de práticas meditativas que usam a mente e a consciência sensorial para entrar no nosso mundo mais interno e profundo e chegar à natureza de nós mesmos que é amor e felicidade incondicional. Essa meditação introspectiva vai permitir libertarmo-nos dos pensamentos mais grosseiros e fazer emergir as nossas qualidades mais puras e o nosso amor e felicidade mais natural.

Quanto mais espaço mental crio, mais espaço tenho para abraçar tudo e todos… abraçar a vida, os seus desafios, os outros, começando por mim mesmo. Esse espaço gera amor, tolerância, generosidade, motivação, compaixão… Qualidades puras naturais… E naturalmente mais me amo e mais amo tudo e todos, numa relação de interconectividade cada vez mais aberta e livre, mais natural e autêntica… porque finalmente me rendo ao que naturalmente sou, sempre fui e sempre serei: puro amor! E este amor é o que eu sou, que não é diferente do que tu és!

Se por um lado, mindfulness é estar presente ou estar consciente… por outro, os sentidos são as portas para o mundo exterior!
Mindfulness dos sentidos permite-me em primeira instância reconhecer a minha consciência, e desse centro de poder – a minha profunda presença e pura consciência – posso ser autêntica nas minhas relações com o mundo à minha volta.
Seja qual for o tipo de relação que estabeleço, esta deve partir da minha consciência pura e assim derrubar barreiras, permitindo-me relacionar com abertura e autenticidade com tudo e com todos.
Esta é a arte não só de conhecer, relacionar, conectar e entrar em contacto directo profundo comigo mesma, mas também a partir dessa relação de aceitação, auto amor e confiança, poder conhecer, relacionar, conectar e entrar em contacto directo com a vida.

A partir desta consciência plena, acontecimentos difíceis ou pessoas desagradáveis podem-se converter muito facilmente em acontecimentos e pessoas neutras e até em oportunidades para me conectar ainda mais com a minha alegria e felicidade interna…
E se nos relacionarmos, com consciência e liberdade, com os objectos mais desafiantes das nossas vidas – como as relações amorosas, a carreira, o desejo, o dinheiro e até a comida – estes podem se tornar como fontes poderosas de nos conectarmos com a beleza da vida, com a nossa beleza mais inata… é dizermos SIM à vida e nos apaixonarmos completamente por ela, ao mesmo tempo que nos apaixonamos por nós mesmos… é abraçar cada momento com alegria, contentamento e êxtase… é não rejeitar, é não me fixar, é antes seguir o fluxo natural da vida, com total aceitação e entrega!

A vida é como um rio que nunca pára. As margens desse rio são a minha presença e consciência, que lhe dão direção e profundidade. As águas são a energia de tudo o que me rodeia e da própria vida… com essa energia não devo lutar, mas antes abraçá-la e, com total consciência, transformá-la em alegria, felicidade e êxtase!

No próximo sábado vem conhecer esta filosofia de viver, esta prática de transformar, esta sabedoria de ver para além da ilusão!
Traz amigos, conhecidos, familiares… é um evento totalmente gratuito!

Mindfulness dos Sentidos para Relações Autênticas | Biblioteca Lucio Craveiro da Silva | Sábado , 16 Julho | 10:00
Inscrições gratuitas: marcacoes@blcs.pt ou 253205977

Para estar a par dos workshops, cursos e formações, assim como dos novos artigos do blog subscreve a Newsletter: http://madmimi.com/signups/81985/join

Mindfulness

Próximos eventos:

RetiroDakinis2_AnaTaboadaLuJong

Especial Massagem da Dakini!

VbSg

Antes da interrupção de Agosto decidi lançar uma promoção na Massagem da Dakini… para todas as mulheres que querem libertar os seus medos e inseguranças mais profundas , despertar a sua sensualidade inata e desfrutarem de um ritual de mimo e prazer!
As mulheres que agendarem esta massagem do dia 14 ao dia 27 Julho irão usufruir de um desconto de 15%.

Marca já para este email: ana@anataboada.com

Mais informações sobre a Massagem da Dakini:
Criei a Massagem da Dakini com o principal objectivo de despertar a consciência sensorial, sensual e sexual do corpo feminino. Esta massagem vai buscar a essência do meu conhecimento, experiência e sabedoria sobre o toque, corpo subtil, energia e êxtase. Através de um toque suave, subtil e intuitivo, tendo como base o respeito e o amor, a mulher deixar-se-á levar por sensações relaxantes que permitem que a sua mente entre num estado meditativo… é um ritual aconchegante, onde a mulher sentirá confiança para relaxar e render-se a ela mesma… é uma terapia na medida em que a mulher, de forma consciente ou inconsciente, libertar-se-á de emoções reprimidas… é uma experiência bela e profunda de cura, onde a mulher se reconecta com o seu templo interno, o seu corpo a todos os níveis e desperta o seu poder interno.
No corpo subtil, ao nível energético, ficam gravados todos os nossos traumas emocionais (rejeições, abusos, injustiças, etc) ou físicos (sexuais, partos, etc), medos, emoções como a aversão e o apego e muitos tipos de bloqueios mesmo que inconscientes… esta massagem, vai permitir que a mulher, gradualmente, comece a se libertar dessa energia bloqueada, comece a relaxar e com confiança a abrir o seu corpo, despertando a sua sensibilidade profunda, a sua sensualidade, ao fazer circular livremente a energia, para poder expressar a sua sexualidade inata de forma cada vez mais consciente e livre de conceitos.
Quando a energia começa a flui sem bloqueios e na direção correcta, o corpo começa a produzir substâncias de bem estar, prazer, êxtase ou bliss que são muito importantes para aumentar a saúde, a vitalidade, a motivação, a sensualidade e a felicidade da mulher.
Conforme a mulher vai adquirindo confiança e vai se sentindo mais à vontade, a massagem pode se tornar mais intima e, logo, o trabalho energético pode ser mais profundo. Neste sentido, esta massagem tem dois tipos de abordagem, ambas com um toque subtil:
Massagem da Dakini s/ óleos: começa por uma massagem à face e couro cabeludo; seguida de vários tipos de toque subtil por todo o corpo estimulando uma energia cada vez mais profunda e relaxante; estimulação suave de pontos energéticos que ajudam a energia a fluir e a produzir essências ou subtancias vitais que geram êxtase ou bliss; massagem suave na zona sacral, mãos e pés. A mulher deverá estar vestida com roupa justa.
Massagem da Dakini c/ óleos: é usado óleo de coco aquecido , de vela de massagem ou outros aromáticos todos naturais , por todo o corpo (não é massajada a área do órgão sexual); começa por uma massagem à face e couro cabeludo; a mulher de barriga para baixo recebe vários tipos de toque subtil por todo o corpo estimulando uma energia cada vez mais profunda e relaxante; massagem suave na zona sacral e pélvica para libertação de bloqueios na energia sexual; de barriga para cima a mulher recebe uma massagem suave energética na zona do ventre e seios; termina-se com massagem suave pelos membros, mãos e pés para se espalhar a energia e êxtase por todo o corpo.
Duração: 90min (inclui pequena conversa inicial e chá no final)
Preço: 40€ (com desconto: 34€)

Image-1 2

Próximos eventos:

Dakinis_Julho_AnaTaboadaMindfulness